Mantendo a mobilização pela sanção presidencial do PLC 28/2015, plano que recompõe os salários da categoria do judiciário federal, os trabalhadores da Justiça Eleitoral do Pará fizeram hoje (17) mais um dia de paralisação, completando as 48 horas de paralisação dos servidores. A mobilização nesses dois dias (16 e 17/7) faz parte das estratégias de construção da greve por tempo indeterminado que se inicia no dia 20 de julho (segunda-feira).

A avaliação da comissão de greve sobre o movimento é positiva. De acordo com a comissão a tendência é que com o término do período de férias a adesão ao movimento paredista aumente.

O coordenador geral do SINDJUF-PA/AP, Lauriano dos Anjos, juntamente com membros da comissão foram até à presidência do TRE-PA comunicar à administração daquele órgão sobre o início da greve, na segunda-feira (20), quando serão suspensos os atendimentos e serviços na sede do Tribunal, na Central e Postos de Atendimento ao Eleitor e nos Cartórios da Capital e Interior, respeitando o percentual previsto em lei, para atender à população.

Os trabalhadores também foram informados de que o coordenador geral do Sindicato, Lauriano, irá a Brasília para representar a categoria do Pará e Amapá, durante a reunião do comando de greve nacional, que acontecerá no próximo dia 22 de julho.

O coordenador vai com a incumbência, também, de levar à Fenajufe a decisão da categoria que resultou na moção de repúdio contra a postura omissa do ministro Lewandowisk, no trato do PLC 28/2015. A categoria solicitou que seja exigido da federação a publicação da moção em sua pagina na internet.

Segunda-feira (20) os servidores darão inicio à greve por tempo indeterminado, com concentração na Central de Atendimento ao Eleitor (CAE), em Belém, no bairro da Pedreira, a partir da 8 horas.

No Amapá, os servidores da Justiça Federal continuam firmes na greve que já dura mais de um mês.

Fonte: Imprensa Sindjuf-PA/ AP