SINDJUF-PA/AP participou da reunião juntamente com a FENAJUFE e outros Sindicatos.

Entidades que compõe o Movimento a Serviço do Brasil, participaram no dia 27/01 (quarta-feira), de reunião com a agencia responsável pela campanha de mídia do movimento, que reúne além do SINDJUF-PA/AP e a FENAJUFE, diversos outros Sindicatos e Associações de Servidores Públicos.

Um dos pontos abordados durante a reunião, foi a avaliação da campanha de mídia e o espaço de alcance atingido, que foi avaliada como positiva pelas Entidades participantes. O foco prioritário das campanhas realizadas, foram a internet e as redes sociais, no entanto também foram utilizados o rádio e a televisão.

Nova fase incluirá influenciadores na Campanha Nacional

Para a nova fase da campanha, estão previstas as participações de influenciadores digitais. Já está prevista a participação de Rita von Hunty, Drag Queen criada pelo Sociólogo Guilherme Terreri, também criador do Canal Tempero Drag, que atualmente conta com mais de 700mil seguidores só no youtube. A participação de Rita von Hunty, está marcada para o dia 11/02 (quinta-feira).

Outro influenciador que está em fase de confirmação pela campanha é o Engenheiro Eduardo Moreira, que possui mais de 400 mil seguidores no youtube, os contatos realizados estão em fase bastante.

Entidades reforçam o engajamento da sociedade na defesa do serviço público

Para o Coordenador Ribamar França, as entidades representativas, estão fazendo a sua parte, fortalecendo a campanha de valorização do serviço público, no entanto, é importante que a sociedade, também faça a defesa do serviço público. “Temos visto durante a pandemia, o quanto o Brasil precisou dos serviços públicos, vimos a importância dos trabalhadores do Sistema Único de Saúde – SUS, dos pesquisadores, dos professores e diversos outros trabalhadores do serviço público, que garantiram o atendimento e os serviços durante todo o tempo. De uma ponta a outra o serviço público esteve atuante, e deve continuar atuando, apesar de todos os ataques sofridos”, afirmou o Coordenador.

PEC 32/2020, da privilégios para quem está no topo da pirâmide do serviço público e ataca os trabalhadores que estão na base

Atualmente tramitando na Câmara dos Deputados, a PEC 32/2020, é um dos mais recentes ataques ao serviço público brasileiro e aos seus trabalhadores. Com o pretexto de cortar privilégios e promover economia para o país, o projeto deixa de fora justamente os segmentos que possuem melhor remuneração e benefícios, como magistrados, parlamentares, militares das forças armadas e membros das carreiras típicas de Estado.

Ainda, a PEC 32/2020, prevê o fim dos concursos públicos, aumento do processo de terceirizações e privatizações, redução de salários, maior poder do executivo sobre os servidores público, aumento de práticas de assédios e perseguições. Também interfere diretamente no processo de autonomia sindical, conquistado após muita luta do movimento organizado dos trabalhadores públicos.