Os servidores da Justiça Eleitoral no Pará suspenderam as atividades hoje (08), desde as 8h, para reivindicar a sanção presidencial do PLC 28/2015, que revisa o salário da categoria do Judiciário Federal. Os trabalhadores em protesto contra a defasagem salarial, que penaliza a categoria há 9 anos, se concentraram em frente à Central de Atendimento ao Eleitor (CAE), no bairro da Pedreira, em Belém.

10 Unidades que funcionam no prédio-sede do TRE-PA aderiram à paralisação

Além das 36 zonas eleitorais do Estado e Postos de Atendimento ao Eleitor, servidores de dez unidades da sede do TRE-PA, em Belém, aderiram ao dia de paralisação e suspenderam suas atividades durante todo o dia de hoje (8). Segundo dados do comando de mobilização, cerca de 70% dos servidores, no Estado, aderiram à paralisação. Durante toda a manhã, a população que procurava atendimento na CAE era informada de que os serviços estavam suspensos na capital e no interior.

Confira as Zonas Eleitorais que paralisaram suas atividades:

Zona 01: Belém

Zona 04: Castanhal

Zona 06: Igarapé Miri

Zona 08: Vigia

Zona 12: Cametá

Zona 16: Afuá

Zona 21: Alenquer

Zona 28: Belém

Zona 29: Belém

Zona 32: Marapanim

Zona 35: Baião

Zona 36: Santa Izabel

Zona 38: Oriximiná

Zona 41: Ourém

Zona 43: Ananindeua

Zona 47: São Francisco do Pará

Zona 51: Rondon do Pará

Zona 57: São João do Araguaia

Zona 58: Curianópolis

Zona 60: Rio Maria

Zona 62: São Geraldo do Araguaia

Zona 63: Primavera

Zona 66:  Peixe Boi

Zona 67: Santa Maria

Zona 68: Rurópolis

Zona 72:  Ananindeua

Zona 73: Belém

Zona 76: Belém

Zona 77: Belém

Zona 81: Garrafão do Norte

Zona 82: Porto de Moz

Zona 95: Belém

Zona 96: Belém

Zona 98: Belém

Zona 103: Breu Branco

Repercussão na Imprensa

Com o atendimento ao público prejudicado, a mobilização dos servidores do TRE-PA ganhou repercussão na mídia. Durante toda a manhã vários veículos de comunicação visitaram o local da concentração dos servidores, para obter informações sobre o ato. Quatro veículos, entre eles rádio, TV, internet e impresso divulgaram a paralisação no Estado, que afetou serviços como biometria, inscrição e revisão eleitoral, justificativa eleitoral, Certidões, entre outros.

Deliberações

Durante o ato, os servidores aprovaram uma moção de repúdio à postura do Ministro Ricardo Lewandowisk, Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) que tem se omitido na defesa de uma solução para a sanção do PLC 28/2015, projeto de autoria do próprio STF. A moção será publicada no site do Sindjuf-PA/AP e enviada à Fenajufe para divulgação.

Ao final da paralisação, os servidores decidiram pela realização de uma assembleia geral no dia 13/07 (segunda-feira), tendo como principal ponto de pauta a deflagração de GREVE, a partir do dia 16/07.  

Tô indo embora

Apesar do cenário nacional e do intenso calor que castigou os servidores que se abrigaram em tendas montadas em frente ao prédio da CAE, a paralisação também teve momento de descontração com a surpreendente participação artística do servidor do TRE-PA, Francisco Soares. Francisco é autor de nove paródias que mostram, de forma crítica e irreverente, o descaso do Governo Federal e da cúpula do Judiciário com a defasagem salarial da categoria. O servidor Francisco, além de ser um incansável guerreiro, tem se revelado um grande talento nas artes musicais como compositor e cantor.  Suas performances, ao vivo, têm dado um tom de descontração ao movimento, pois além do show musical ele ainda põe os servidores para dançar com os “hits e passinhos da greve” que vão do forró ao arrocha.

De acordo com ele as paródias são estratégias para aumentar a adesão dos servidores ao movimento de paralisação, além de descontrair as pessoas. Uma das paródias mais engraçadas é a “Tô indo embora”, que denuncia a situação financeira do servidor, que está a ponto de “ir embora do Judiciário”, pois não aguenta mais tanto descaso e tanta desvalorização da carreira.

Fonte: Imprensa Sindjuf-PA/AP