O prazo final para a sanção ou veto do PLC 28/2015, plano que prevê a recomposição salarial dos servidores do Judiciário Federal, é hoje (21). No Pará, os servidores da Justiça Eleitoral, que estão em greve por tempo indeterminado, estiveram concentrados durante toda a manhã, em frente a Central de Atendimento ao Eleitor (CAE), para intensificar a pressão a presidente Dilma Rousseff e acompanhar informações de Brasília, sobre o andamento do Projeto no Planalto.

Comissão de greve solicita apoio ao senador Paulo Rocha (PT)

Ontem (20) membros da comissão de greve, acompanhados do coordenador geral do Sindjuf-PA/AP, Lauriano Pinto, se reuniram com o senador Paulo Rocha, do Partido dos Trabalhadores (PT). A reunião teve o objetivo de solicitar ao parlamentar apoio para a sanção ou derrubada de um possível veto, do Projeto que recompõe os salários da categoria.

A comissão apresentou ao senador um material contendo todas as informações e dados que justificam a reivindicação dos servidores, que há mais de 9 anos estão sem reajuste em seus salários.

 Apesar do apelo, o senador Paulo Rocha preferiu não apresentar uma posição favorável ao PLC 28, já que segundo ele, o projeto tem grandes chances de ser vetado pela Presidente Dilma, que deve solicitar um Projeto substitutivo, para ser implantado no início de 2016.

“Eu não vou enganar vocês, vou ser franco. A tendência do governo é vetar e enviar imediatamente um projeto substituto. Com isso, não estou querendo tirar a legitimidade, e a justeza da luta da categoria, mas isso é o que eu venho acompanhando. ”, declarou Paulo Rocha.

Servidores avaliam movimento grevista

A categoria decidiu que a greve continua e que nesta quarta-feira (22) a concentração será na sede do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA). Os servidores querem fazer uma avaliação do movimento grevista e votar pela manutenção ou suspensão da greve. Na ocasião, será realizada uma Assembleia Geral Extraordinária para decidir os rumos da mobilização. A assembleia acontece a partir das 9h, no hall de entrada do TRE-PA. 

Fonte: Imprensa Sindjuf-PA/AP