MAIS UM DIA DE INTENSA MOBILIZAÇÃO PELA APROVAÇÃO DO PLC 28/2015

Hoje o dia foi de muita tensão e mobilização para os trabalhadores do Judiciário Federal em diversos Estados da Federação. Toda essa agitação se dá em virtude do calendário nacional pela aprovação do PLC 28/2015 que trata da recomposição salarial dos servidores do Judiciário Federal.

Segundo o calendário de mobilização, o dia 10 de junho foi tirado como início da greve por tempo indeterminado, apesar de que alguns sindicatos já haviam deflagrado greve, desde o dia 27 de maio.

No Pará e Amapá não foi diferente. Os servidores das justiças Eleitoral, Federal e Trabalhista paralisaram suas atividades como forma de mostrar ao Governo Federal a indignação da categoria com o achatamento salarial que penaliza os trabalhadores desde 2006.

PLC 28/2015: Trabalhadores do Judiciário Federal em luta por recomposição salarialDia de vigília e muita luta

No Pará, os servidores da Justiça Eleitoral e Trabalhista que haviam deliberado por 24 horas de paralisação, hoje (10), reuniram-se em frente aos prédios onde funcionam os respectivos tribunais. O dia foi de vigília, pois a expectativa é de que o projeto (PLC 28) que está na pauta da sessão plenária do Senado seja votado hoje. Por isso os servidores permaneceram reunidos e atentos aos acontecimentos em Brasília.

No TRE-PA, o Sindjuf montou uma tenda com decoração junina, muitas ervas cheirosas e banhos para trazer bons fluídos e reforçar a luta pela Recomposição Salarial. Teve banho de ervas cheirosas e sachês de cheiro do Pará, além do ritual de “Benzedura” dos grevistas.

Criatividade é arma poderosa de mobilização

PLC 28/2015: Trabalhadores do Judiciário Federal em luta por recomposição salarialCom a Barraca da “Greve Cheirosinha” e com os banhos: “DILMA DEIXA DE PAVULAGEM E APROVA NOSSO PROJETO”, “CHEGA-TE A MIM REAJUSTE”, “DILMA ABRE CAMINHO E NEGOCIA”, “AFASTA O VETO”, “CHAMA SERVIDOR PRA GREVE”, um grupo de servidores foi fazer o famoso arrastão da greve nos diversos setores do Eleitoral. A criatividade dos servidores do Tribunal Eleitoral foi uma forte arma que serviu para motivar e sensibilizar aqueles que ainda não se engajaram nessa luta. Tudo isso foram estratégias criadas para aumentar a adesão ao movimento paredista.

70 % de adesão no Amapá

PLC 28/2015: Trabalhadores do Judiciário Federal em luta por recomposição salarialNo Amapá, onde foi deliberado greve por tempo indeterminado, a partir de hoje (10), os servidores da Justiça Eleitoral e da Justiça Federal estão cada vez mais conscientes, organizados e unidos o que tem dado um número expressivo de adesão à greve. Cerca de 70% dos trabalhadores dos referidos tribunais estão participando do movimento.

Novos rumos da luta

Os rumos do movimento foram avaliados ficando definido que na Justiça Eleitoral do Pará haverá mobilização no dia 16/06 e paralisação de 24 horas no dia 17/06. Em Macapá, os servidores continuam em greve e farão uma assembleia de avaliação da greve, na sexta-feira, dia 12 de junho.

Fonte: Imprensa do SINDJUF-PA/AP