Entidades denunciam desmonte do estado e reforçam necessidade de pressão máxima e permanente sobre o parlamento

No ato político do #24M – Dia Nacional de Luta contra a reforma administrativa e por Vacina para Todos, a Fenajufe teve participação de destaque na fala do coordenador Fernando Freitas, que também é dirigente da Assejus/DF. O Ato Político do #24M foi organizado pela Frente Parlamentar Mista do Serviço Público em parceria com o Fonasefe – Fórum das Entidades Nacionais do Serviço Público. Representando também a Federação, o evento contou com a presença do coordenador Roberto Policarpo.

Num dos discursos mais incisivos do ato, o dirigente atacou o fim da estabilidade proposto na reforma administrativa, lembrando de estatais como os Correios, Petrobrás e a EBC (Empresa Brasileira de Comunicação), sucateadas por indicações políticas totalmente descompromissadas com os verdadeiros objetivos dessas empresas quando criadas e extremamente subjugadas às vontades políticas nada republicanas da alta cúpula do governo, no caso, o presidente da República.

Freitas encerrou sua participação lembrando que os servidores públicos, de posse da estabilidade no cargo, não cedem a essas pressões e vontades políticas da alta cúpula e que talvez seja por isso, que Paulo Guedes – ministro da Economia – e sua troupe odeiem tanto os servidores.

A pressão dos trabalhadores públicos durante todo o Dia Nacional de Luta culminou no recuo do relator da reforma, Darci de Matos (PSD-SC), na apresentação do relatório da PEC 32/20:

Após Dia Nacional de Luta, relator da reforma administrativa adia apresentação do relatório

A íntegra do Ato Político do #24M pode ser acessada AQUI.

Mobilização
O Dia Nacional de Luta contra a reforma administrativa – #24M – registrou atividades em todos os estados. Sindicatos da base da Federação realizaram atividades presenciais e seminários virtuais, como forma de mobilizar a categoria contra este que se pretende ser o maior ataque contra os serviços públicos, já registrado na história do país.

Outra forma de mobilização virtual que ganhou destaque e tem se mostrado importante meio de pressão são os tuitaços. No #24M as flshmobs virtuais no Twitter começaram já a partir das 9h. Já passava das 23h quando encerramos essa matéria, e ainda havia mobilização em curso.

O #24M integra um calendário de luta das entidades dos trabalhadores, tanto da iniciativa privada quanto do setor público, contra a tragédia que a reforma administrativa provocará para os segmentos mais vulnerados da sociedade.

Luciano Beregeno, da Fenajufe