domingo, 26 junho, 2022
spot_img

Indignados com a defasagem salarial, servidores do TRE-PA se reúnem em setorial do Sindjuf-PA/AP nesta quarta-feira (22) para articular mobilização pela reposição salarial urgente

As perdas no poder de compra devido à falta de reposição salarial levaram os servidores do TRE-PA a se reunirem nesta quarta-feira (22) em reunião do Sindjuf-PA/AP.

Indignados com o cenário que vem se agravando nos últimos anos com a alta da inflação, os trabalhadores lamentaram a defasagem em seus salários que acumula uma perda aproximada de 40%.

Além de amargarem anos sem nenhum tipo de reajuste, os servidores veem a remuneração encolher mês a mês. É no dia a dia como aponta a servidora Luciane Tavares que os servidores conseguem mensurar a gravidade da situação.

“Eu tô vendo mais de 50% do meu poder aquisitivo ir para o “chinelo”. Eu chego no supermercado, eu choro. Eu não acredito que eu vou levar duas sacolas por cento e cinquenta a duzentos reais. O nosso auxílio-alimentação não está dando pro rancho nem de uma pessoa. Eu fiz o cálculo: para cada criança minha de alimentação, dá mais de mil e trezentos reais, eu tô falando do básico, da cesta básica, eu não tô falando de adulto que é ainda mais caro.”, lamentou a servidora.

Com a variação crescente de itens imprescindíveis no dia a dia das famílias e nenhuma recomposição salarial, a servidora também alerta que se os servidores não fizerem nada, a tendência é piorar. “É no mínimo que a gente tá perdendo dignidade. Se a gente não fizer nada, só vai perder, só vai piorar. A gente precisa agir. Além dessa força digital, a mobilização física também é importante.”, lembrou Luciane.

Dia de Mobilização Nacional

A reunião com os servidores acontece no segundo dia de Mobilização Nacional pela Reposição Salarial, quando diversas Entidades, entre elas o próprio Sindjuf-PA/AP, enviaram caravanas a Brasília de modo a pressionar o presidente do STF, Ministro Luiz Fux, a encaminhar projeto de recomposição das perdas salariais da categoria.

O próprio Ministro sinalizou haver recurso para tal iniciativa, que até agora está sendo ignorada.

PEC 63/2013— Quinquênios

Paralelo a essa possibilidade, a categoria também luta pelos quinquênios, uma espécie de indenização prevista na PEC  63/2013.

O texto original da matéria estabelece a volta do benefício apenas para magistrados e funcionários do Ministério Público, porém, há emendas à matéria que propõem a volta do quinquênio a todo funcionalismo público federal. Por isso, a pressão da categoria é tão importante, para que as emendas não sejam ignoradas.

Segundo o coordenador do Sindjuf-PA/AP, Ribamar França, caso a proposta seja aprovada, os servidores terão direito a valores retroativos. Outro ponto positivo deste tipo de reajuste é que por se tratar de verba indenizatória, o valor não será tributado.

Vale-alimentação

O coordenador também lembrou das dificuldades em conseguir reajuste através do vale-alimentação. Esta via, é mais complicada, em decorrência dos impeditivos impostos pela Emenda Constitucional 95 que limita os gastos públicos. Além disso, o auxílio só poderia aumentar para os servidores do PJU quando os servidores do Executivo alcançassem o patamar do Judiciário.

Sindjuf-PA/AP entregará pauta de reivindicações ao Ministro Fachin durante sua visita ao TRE-PA

Ribamar informou aos presentes, como parte da estratégia de mobilização pela reposição salarial será entregue ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, que estará em visita ao TRE-PA, um ofício contendo demandas da recomposição salarial e da segurança dos servidores durante as próximas eleições. 

Nível Superior — NS

Na ocasião, o coordenador também informou que o CNJ caminha para em breve estabelecer as novas atribuições dos técnicos judiciários. As atribuições que hoje se confundem com as dos analistas, serão finalmente definidas e efetivadas. As tabelas remuneratórias estarão em um próximo passo, quando a previsão é de que as discussões serão um pouco mais complicadas, por se tratar de remuneração.

Estratégias

Ao final do encontro, os servidores entenderam que caso o reajuste não seja possível para esse ano, por conta do tempo escasso, pois a categoria só tem até a próxima semana, a estratégia é trabalhar para a campanha salarial do ano que vem.

A intenção é iniciar a pressão sobre os parlamentares ainda na campanha política, pedindo que exponham em seus planos de governo propostas que beneficiem a categoria, caso contrário não terão o voto dos servidores.

Os servidores também enfatizaram a importância de intensificar a mobilização nas redes sociais, mas também sem abdicar da participação presencial, já que uma nova reunião será convocada para a próxima semana.

Latest Posts

spot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CADASTRE SEU EMAIL

PARA RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS DIARIAMENTE.