domingo, 29 janeiro, 2023
spot_img

Oficiais de Justiça do TRT-8 participam de curso sobre Pesquisa Patrimonial

A meta é capacitar 40 oficiais de justiça de Belém e Ananindeua

O oficial de justiça avaliador federal Érico Rodrigues Lopes atua no TRT-8 desde 1994, ele é um dos alunos do curso “Ferramentas da Pesquisa Patrimonial”, que iniciou nesta quarta-feira, 17, em Belém. Ele conta sobre as ferramentas que está aprendendo durante a capacitação. “Com essas ferramentas tecnológicas nós temos acesso às informações dos executados. Por exemplo, teremos informações sobre o veículo, se ele tem multa, se está alienado; tem outra ferramenta que trata da questão do registros de imóveis e outra que teremos acesso aos dados da Junta Comercial do Estado do Pará (Jucepa) sobre o cadastro e registro de empresas”.

O curso é uma das ações do Programa de Efetividade da Execução que faz parte da capacitação dos oficiais de justiça no desenvolvimento das ferramentas de pesquisa patrimonial. As ferramentas digitais são acessíveis para os magistrados e servidores do TRT-8, por meio de convênios com determinados órgãos. A chefe da Central de Execução do TRT-8 de Belém, Keitiane Silva, explica sobre os objetivos do projeto. “Vamos começar o treinamento com a Central de Execução de Belém e Ananindeua, mas a intenção do projeto é levar para todos os oficiais do Regional. No total, vamos capacitar 40 oficiais de justiça de Belém e Ananindeua durante três semanas. Para os colegas de fora da sede, vamos pensar em uma logística para esse curso chegar até eles, no formato presencial ou à distância”, detalha.

O facilitador do curso, Walmir Ferreira Gama, que responde pela chefia do Núcleo Pesquisa Patrimonial do TRT-8, afirma que o TRT-8 possui 18 ferramentas de pesquisa patrimonial. “Hoje no curso estamos utilizando apenas sete ferramentas de pesquisa, que são mais voltadas para o trabalho do oficial de justiça. São pesquisas sobre a sociedade das empresas, onde está o bem da empresa, em que nome está aquele bem. Por exemplo, ele vê que um executado tem um veículo, e precisa saber se o veículo é dele ou não é. Por meio da placa do veículo e pesquisar no sistema ele terá acesso aos dados do veículo, placa, endereço, chassi, e o dono do veículo. Essas ferramentas de pesquisa patrimonial auxiliam muito no serviço e na execução trabalhista”, finaliza.

Nessa primeira turma da capacitação participam 12 oficiais de Justiça do TRT-8 que atuam em Belém e Ananindeua. O curso encerra nesta quinta-feira (18), e está sendo realizado no Laboratório de Informática da Escola de Capacitação e Aperfeiçoamento Itair Sá da Silva (ECAISS), em Belém.

Fonte: TRT8

*Foto: Ascom TRT8

Latest Posts

spot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CADASTRE SEU EMAIL

PARA RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS DIARIAMENTE.