domingo, 26 junho, 2022
spot_img

Oficial de Justiça da Seção Judiciária Federal do Pará sofre atentado durante diligência

O fato ocorreu por volta das 16h45 da última sexta-feira (13), em via pública no bairro do Guamá. O servidor estava acompanhado de um motorista de táxi.

O Oficial de Justiça da Seção Judiciária do Pará, MARCELINO AUGUSTO DA SILVA GOMES, 60 anos, sofreu um atentado na última sexta-feira (13) durante a atividade profissional. O servidor que estava a caminho de endereços para o cumprimento de mandados na região foi surpreendido quando um homem apontou uma arma em direção ao veículo em que estava.

O fato ocorreu, por volta das 16h45, no bairro do Guamá, quando o servidor acabara de realizar uma diligência.

► Marcelino que registrou no mesmo dia o boletim de ocorrência, contou como foi quase alvejado.

“ eu estava em um veículo junto ao motorista, um taxista, quando paramos em uma via. Eu estava de cabeça baixa verificando outros endereços para levar as intimações, quando de repente um adolescente bateu no vidro e perguntou: vocês estão procurando uma casa? O taxista respondeu que não, e em seguida, outro homem (não identificado) apontou uma arma de fogo em direção ao carro. Nesse momento, o motorista do carro começou a gritar “Meu Deus, Meu Deus, ele vai atirar” – e arrancou com o veículo. Eu que estava distraído, na hora, não entendi o que estava acontecendo, só depois, em uma rua mais segura foi que ele (taxista) me explicou o que tinha acontecido”.

Marcelino, que está há 23 anos na profissão, expôs o ocorrido em grupo dos Oficiais de Justiça no Whatsapp; lamentou e alertou os colegas para o risco de sua atividade profissional que exige contato direto com pessoas em conflito com a lei, e acesso a áreas consideradas de risco para dar efetividade às decisões judiciais.

Marcelino contou ao Sindicato que nesses anos de profissão já sofreu três situações de violências, esta é a quarta vez que sofre mais uma situação traumatizante.

Ainda muito abalado, o servidor lamentou o fato das execuções judiciais serem feitas em um cenário de insegurança e extrema violência.

O Sindjuf-PA/AP lembra que a luta por segurança e melhores condições de trabalho aos Oficiais é pauta recorrente do Sindicato, assim como das demais Entidades que representam a categoria.

Mediante os fatos, a Entidade cobrará através da sua Assessoria Jurídica uma resposta quanto a garantia da segurança dos servidores durante o cumprimento dos mandados judiciais.

A Diretoria do Sindjuf-PA/AP manifesta solidariedade ao Oficial de Justiça do SJPA e repudia mais este caso de violência praticado contra servidores no exercício da função.

Foto/Crédito/Ilustração: USA-Reiseblogger por Pixabay (imagem grátis – licenciável)

Latest Posts

spot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CADASTRE SEU EMAIL

PARA RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS DIARIAMENTE.