domingo, 25 setembro, 2022
spot_img

Pandemia de Covid-19: pesquisa mostra que servidores se sentem mais cansados e sobrecarregados no trabalho

Uma pesquisa realizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em dezembro de 2021 mostra uma acentuação no que os servidores do Judiciário já vinham sentindo desde o início da pandemia: cansaço, insônia, dificuldade de concentração, aumento de peso e dores musculares.

A Pesquisa sobre Saúde Mental de Magistrados e Servidores no Contexto da Pandemia da Covid-19 contou com a resposta de 21.646 participantes.

Diante da nova realidade, o Poder Judiciário precisou se adequar, adotando o trabalho remoto, realizando audiências por meio de videoconferências, implementando conciliações virtuais, entre outras.

As medidas foram implementadas sem comprometer a celeridade e produtividade das atividades do Órgãos, porém, a nova modalidade de trabalho trouxe sobrecarga e problemas de saúde para os servidores.

Mais trabalho

Em comparação com a pesquisa do ano anterior, os dados mostraram que o volume de trabalho recebido atualmente foi maior que no período anterior à pandemia.

As respostas também revelam a sensação de que os trabalhadores estão dedicando mais tempo ao trabalho do que antes.

Enquanto agora 55% tiveram essa percepção de aumento do volume de trabalho, no primeiro ano da pandemia era 38%. Para 66,6% das pessoas entrevistadas, o tempo dedicado ao trabalho está sendo bem maior do que na fase do trabalho presencial. Na pesquisa anterior, essa percepção foi tida por 47,5%.

Insegurança

Em relação à forma de trabalho, 15% de quem respondeu ao questionário dissera não se sentir confortável para voltar ao trabalho presencial, mesmo que regras de segurança sejam adotadas. E 35% preferem manter a forma virtual para reuniões de trabalho.

Pesquisa

Desde 2020, o CNJ tem levantado junto aos profissionais da Justiça o que mudou em suas vidas desde que passaram a lidar com as medidas sanitárias necessárias para conter a Covid-19 e evitar a disseminação do novo Coronavírus. O resultado da pesquisa — realizada a pedido do Comitê Gestor Nacional de Atenção Integral à Saúde de Magistrados e Servidores — serve para que o órgão trace um panorama de ações que deverão ser priorizadas para proteger a saúde das equipes da Justiça. A pesquisa foi anônima, sigilosa e voluntária, e os resultados também são apresentados de maneira que não se possa identificar as pessoas respondentes.

Foto/Crédito: José Luis Navarro, Creative Commons – Direitos autorais: CC BY-NC-SA 4.0 (imagem licenciável).

Fonte: CNJ

*Texto com adaptações do Sindjuf-PA/AP.

Latest Posts

spot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CADASTRE SEU EMAIL

PARA RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS DIARIAMENTE.