domingo, 26 junho, 2022
spot_img

Pesquisa mostra que 53% dos brasileiros são contrários à reforma trabalhista

Levantamento aponta também que 58% defendem a revisão da reforma aprovada no governo Michel Temer; Com relação à EC 95 (teto de gastos), 40% são contrários

Pesquisa da Genial/Quaest, publicada pela Folha de São Paulo na segunda-feira (28), mostra que 53% dos brasileiros são contrários à reforma trabalhista aprovada no governo Michel temer, em 2017, contra 27% que são favoráveis. O levantamento aponta, ainda, que 58% defendem a revisão da reforma.

A discussão sobre a possibilidade de revogação da reforma trabalhista veio à tona em janeiro depois que o ex-presidente (e pré-candidato) Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, citarem a revogação da reforma na Espanha feita pelo primeiro-ministro Pedro Sánchez que, como aqui, não gerou empregos e precarizou o trabalho. A reforma trabalhista de 2012 do país espanhol foi revogada no fim dezembro de 2021.

Aqui no Brasil, os principais pré-candidatos ao Palácio do Planalto nas eleições deste ano já se posicionaram sobre o tema: Lula, como citado acima, e Ciro Gomes (PDT) defendem a revisão da reforma trabalhista de Temer; já Sergio Moro (Podemos) e João Dória (PSDB) são contra a revogação, assim como o atual mandatário do País, Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição.

Impactos na Justiça do Trabalho

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) realizará estudo sobre os impactos da reforma trabalhista na Justiça do Trabalho. O ato que instituiu o grupo de trabalho foi assinado no dia 24 de fevereiro; os integrantes terão 30 dias para apresentar a conclusão das atividades, que acontecerão, preferencialmente, de forma virtual.

Precarização

Passados quatro anos, a reforma do governo Temer se provou completamente nociva à classe trabalhadora com a precarização da mão de obra, baixos salários, aumento do desemprego e do trabalho informal e dificultou o acesso do trabalhador à Justiça do Trabalho. À época, foi aprovada às pressas com a promessa de que geraria 6 milhões de empregos em até uma década e 2 milhões apenas nos dois primeiros anos após a aprovação.

Em seu Plano de Luta, aprovado no 10º Congrejufe, a Fenajufe defende a revogação da reforma trabalhista e combate a qualquer proposta de terceirização.

EC 95

A pesquisa da Genial/Quaest também perguntou sobre a Emenda Constitucional 95 (teto de gastos): 40% são contrários e 32% aprovam a medida. Quanto maior a renda, mais o apoio à EC 95.

 Até dois salários mínimos: 27% concordam;

 Entre dois e cinco salários: 32% concordam;

 Mais que cinco salários: 40% concordam.

Raphael de Araújo

Foto/Crédito: Ana Volpe/Agência Senado / Attribution 2.0 Generic (CC BY 2.0) – Creative Commons (imagem licenciável)

Fonte: https://www.fenajufe.org.br/noticias/noticias-da-fenajufe/8633-pesquisa-mostra-que-53-dos-brasileiros-sao-contrarios-a-reforma-trabalhista

Latest Posts

spot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CADASTRE SEU EMAIL

PARA RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS DIARIAMENTE.