Cancelamento da sessão não tira ânimo dos servidores e mostra que as mobilizações em Brasília precisam ser intensificadas

Os componentes da caravana do Pará que retornaram de Brasília, depois de dois dias de intenso trabalho de mobilização pela derrubada do veto 26, participaram ontem (3) da Assembleia Setorial do Sindjuf-PA/AP, realizada no TRE-PA.

Ao fazerem a avaliação da viagem, a maioria dos servidores considerou positivo o trabalho realizado junto aos parlamentares da bancada paraense, no Congresso Nacional. Todos os gabinetes foram visitados e, dos 20 parlamentares (3 senadores e 17 deputados federais), apenas 7 ainda não foram abordados pessoalmente, são eles: José Priante, Elcione Barbalho, Zé Geraldo, Júlia Marinho, Joaquim Passarinho, Hélio Leite e Beto Salame.

Foi ressaltado também que, apesar do cancelamento da sessão por falta de quórum, os servidores consideram que foi um dia vitorioso, pois, segundo eles, a sessão foi cancelada porque o governo sentiu que havia grande possibilidade do veto ser derrubado.

“A sensação é de sermos vitoriosos, apesar de todas as manobras do governo para nos desmobilizar”, foi com essas palavras que o servidor Victor Santos (TRE-PA) manifestou suas impressões sobre a luta travada no Congresso Nacional.

Os depoimentos evidenciaram que a mobilização em Brasília foi histórica e a categoria nunca esteve tão unida. Apesar dessa constatação, é necessário que a categoria não se disperse, uma vez que a luta ainda não chegou ao fim.

A maioria dos integrantes da caravana fez avaliação positiva, porém, alguns servidores tiveram uma visão diferente. O integrante da caravana, Edson Lameira, se absteve de externar suas impressões que, segundo ele, não eram das melhores e poderiam até influenciar de forma negativa aos demais servidores.

Outro servidor que também teve visão diferente e mais crítica sobre o que aconteceu na mobilização em Brasília foi Ribamar França, coordenador do Sindjuf-PA/AP, que já tem vasta experiência com esse trabalho político junto aos congressistas. Para ele, apesar da grandiosidade desse momento histórico da luta, deve-se analisar com bastante responsabilidade e “pé no chão” a atual conjuntura. Segundo Ribamar, todo esse apoio manifestado pelos parlamentares a nossa causa não é de graça.

Ribamar lembrou que durante a conversa com o Deputado Lúcio Vale, o mesmo frisou que os parlamentares têm grande interesse que essa sessão conjunta aconteça, pois precisam que os PLN’s (Congresso de Lei do Congresso Nacional) 1, 2 e 3 que tratam da liberação das emendas orçamentárias inscritas em Restos a Pagar, de interesse deles, sejam liberados. Por isso, o coordenador do sindicato avalia que os parlamentares estão usando a nossa luta para pressionar o governo. Além disso, Ribamar ressaltou que é bom que a categoria entenda que o quórum mínimo atingido não nos garantiria que todos os parlamentares iriam votar favorável à derrubada do veto 26/2015.

Outro ponto enfatizado pelos servidores foi a continuidade das contribuições para custear as próximas caravanas. Para isso foi sugerido uma reunião com o Diretor-Geral do TRE-PA para solicitar autorização de desconto, em folha, das contribuições ao fundo de greve. A doação de milhas para viabilizar as passagens aéreas foi outra proposta bem recebida pela categoria.

Foi manifestada, ainda, a preocupação com os rumos do movimento. Para alguns servidores a greve deve ser repensada, pois, o momento atual da luta requer concentração de forças em Brasília. Para tanto, deve haver uma melhor preparação dos servidores que irão na próxima caravana. A ideia é que haja uma melhor organização no que diz respeito à abordagem dos parlamentares.

Outro ponto destacado foi o empenho do SINDJUF-PA/AP na coordenação e condução dos trabalhos da caravana. Segundo os servidores, o coordenador Ribamar França demonstrou ter bastante experiência e articulação junto a alguns parlamentares do Pará, o que facilitou o acesso aos gabinetes dos deputados e senadores, como também às galerias do Congresso Nacional.

Os servidores reconheceram, também, que a opção defendida pelo sindicato de enviar a caravana por via aérea foi acertada, por ser menos desgastante, uma vez que o trabalho de mobilização requer disposição e preparo físico para enfrentar horas de caminhada e de espera em filas para acesso aos gabinetes e galerias, além da participação nos atos que acontecem a céu aberto e com muito sol, no gramado em frente ao Congresso Nacional.

Ao final da avaliação foi reconhecido o excelente trabalho feito por todos os integrantes da caravana e aprovadas as seguintes propostas:

1)  Reunião com o DG-TRE/PA para solicitar autorização para descontar em folha a contribuição ao fundo de greve;

2)  O envio de caravana dependerá das contribuições;

3)  Solicitar doação de milhas para custeio de passagens aéreas;

4)  Apresentar prestação de contas, demonstrando a despesa total e os gastos individuais com cada participante da caravana e o valor arrecadado com o fundo de greve.  

5)  Eleger Comissão para conversar com o Deputado Federal Wladimir Costa, relator do PL 2648/2015 (Roberto Moura, Nazaré, Ribamar, Cláudio, Edson, Wladimir e Omar;

6)  Convocação de assembleia setorial do TRE-PA para o dia 09/09/2015, às 9h.

Antes do término da assembleia foi confirmada a data da próxima sessão do Congresso para o dia 22 de setembro. Diante dessa informação a categoria entendeu que é importante e necessário enviar nova caravana a Brasília, na referida data.

Os coordenadores financeiros do sindicato que estavam presentes na assembleia informaram que, no momento, as finanças da entidade não suportam novas despesas com envio de caravanas à Brasília. Em virtude disso, dessa vez, as despesas com a caravana deverão ser custeadas integralmente com as contribuições ao fundo de greve.

Portanto, companheiros, vamos nos fazer presentes e mostrar nossa disposição de luta!

Contribua para o FUNDO DE GREVE!

Faça a sua doação por meio de depósito na conta corrente do SINDJUF-PA/AP.

Banco do Brasil

ag: 1232-7

c/c: 48965-4

SINDJUF-PA/AP

Fonte: Imprensa Sindjuf-PA/AP