Membros da diretoria e servidores da base do Sindjuf-PA/AP se reuniram na noite dessa quinta-feira, 04, utilizando uma ferramenta tecnológica de reuniões à distância. Na pauta, o cenário político do Brasil e as ameaças aos servidores e serviços públicos.

A primeira edição do Ciclo de Debates contou com a participação de Marcelo Carlini, servidor do Judiciário Federal e membro da diretoria do Sintrajufe/RS. O sindicalista falou sobre o cenário mundial de enfrentamento ao novo coronavírus que já atingiu milhões de pessoas; os recentes protestos nos EUA contra o racismo e a política violenta das abordagens policiais. Destacou, também a omissão do governo brasileiro que vem demonstrando incapacidade no enfrentamento à pandemia.

Segundo o Carlini, a pandemia conseguiu mostrar o grau de exclusão social no Brasil. Lembrou, ainda, que a maioria dos brasileiros está desesperada em busca do auxílio emergencial porque não têm como sobreviver.

Outro elemento determinante no cenário brasileiro, de acordo com o sindicalista, é o plano do Governo de militarizar o país. Segundo Carlini, este objetivo já está sendo executado de forma gradativa, colocando, por exemplo militares em cargos de chefia.  

Ao ser perguntado como a classe trabalhadora pode reagir contra essa realidade, Carlini respondeu que infelizmente de casa (em isolamento social) não há a possibilidade de resistir. Para o sindicalista é preciso buscar uma reação popular.

Ele lembrou que as centrais sindicais em alguns estados já estão organizando movimentos, mas que o momento também é de prevenção e cuidados à saúde para não contribuir com a disseminação do vírus e contaminação das pessoas.

Carlini ressaltou que este momento de isolamento social, que impede as pessoas de irem às ruas, é um momento favorável para o Governo aprovar medidas que irão retroceder com direitos adquiridos há décadas pela classe trabalhadora.

Ele acredita que o movimento dos trabalhadores e trabalhadoras tem que ser retomado antes do retorno aos postos de trabalho para que seja possível refletir a necessidade de construir um enfrentamento.

Respondendo às dúvidas dos participantes, Carlini disse que os sindicalistas devem demonstrar para cada colega de trabalho a gravidade da situação, que este não é um período de conquistas, mas de defensiva, de manutenção dos direitos. “Precisamos encontrar nos sindicatos ferramentas para enfrentamento dessas questões. O nosso papel é explicar, é contar que Bolsonaro, se puder, vai acabar com os salários. Esse é o nosso papel, explicar. O plano deles é revogar todas as conquistas que nós levamos décadas para conquistar. Precisamos recompor uma base política. ”, disse ele.  

Ciclo de Debates

Marcelo Carlini foi o primeiro participante do ciclo de debates promovido pelo Sindjuf-PA/AP que terá uma nova edição, no dia 18 de junho, com a participação do coordenador da Fenajufe, Roberto Policarpo. O objetivo do Sindicato é proporcionar aos servidores que compõem a base da categoria uma melhor compreensão da conjuntura que está colocada atualmente e, dessa forma, buscar interlocução entre a base e as lideranças sindicais.