O Sindicato visitou nessa terça-feira (12) a 1ª Vara Trabalhista de Abaetetuba e constatou que os servidores vêm trabalhando em meio a poeira e entulhos provenientes da obra de revitalização do prédio.

A obra é fruto de uma solicitação do Sindicato à presidência do TRT/8ª com o objetivo de encontrar uma solução para os problemas de insalubridade do local.

Apesar de ter iniciado a reforma, o Tribunal não apresentou um plano de remanejamento dos servidores, que agora, junto com usuários, dividem espaço com os reparos.

Os servidores também não sabem como o local será reorganizado, tendo em vista que a obra deve se intensificar nas próximas semanas, obrigando um improviso dos espaços.

A poeira tem se tornado um problema que vem afetando a qualidade do ambiente de trabalho e consequentemente a saúde dos servidores, que já apresentam problemas respiratórios provenientes da condição local. Toda manhã, os servidores encontram suas mesas com uma camada de poeira, que apenas as máscaras distribuídas pelo Tribunal não são suficientes para impedir a irritação de olhos e vias respiratórias dos trabalhadores.

Outra preocupação é o risco à segurança dos servidores, que continuam trabalhando sem Equipamentos de Proteção Individual (EPI), uma contradição, já que os trabalhadores da obra possuem esses equipamentos, mas os servidores que circulam diariamente pela obra, expostos a ameaças físicas, não possuem.

Não é só a segurança humana que está comprometida, a reforma também vem prejudicando processos e equipamentos que foram comprados recentemente e que são cobertos por lonas para evitar danos.

Até agora os servidores não receberam nenhuma comunicação oficial sobre o destino deles até a conclusão da obra, obrigando-os a continuar nas mesmas condições.

O Sindicato ouviu os servidores e irá comunicar o Tribunal por meio de um ofício, solicitando uma providência urgência.

Acompanhe outras imagens da obra: