Não faz muito tempo que servidoras e servidores públicos conquistaram o direito de lutarem unidos e organizados. O direito à organização sindical veio a partir de 1988, com o advento da Constituição Federal. A partir daí os trabalhadores e trabalhadoras do serviço público reforçaram a unidade da categoria, criando seus sindicatos, federações e demais entidades representativas. Foi unida que a categoria enfrentou as campanhas de desmonte do serviço público, como a “caça aos marajás”, perseguição velada, durante o Governo de Fernando Collor de Melo que previa demissões e reformas administrativas.

O tempo passou, mas a repressão e a perseguição aos trabalhadores e trabalhadoras do serviço público continuam. No momento atual, servidores e servidoras estão mais uma vez ameaçados por reformas e políticas de enfraquecimento do Estado. Mais uma vez os servidores estão próximos de perder direitos há muito conquistados, entre eles, a estabilidade e a redução de 25% de seus salários.

O cenário se repete, por isso a necessidade de UNIÃO é ainda mais atual, principalmente, em tempos de sentimentos e atitudes individualistas, a exemplo de entidades que largam o cabo de força nesse momento importante de luta e engajamento.

O Sindjuf-PA/AP, filiado à Fenajufe, reforça seu entendimento, junto às demais entidades filiadas à Federação, de que a unidade é a principal arma contra a retirada de direitos.

O Sindicato que constantemente alerta a categoria sobre os riscos da setorização, que individualiza as pautas ao invés de fortalecê-las, rechaça qualquer proposta de fragmentação e isolamento no seio da categoria, pois acredita que apenas a luta conjunta contribui para barrar os retrocessos no serviço público.

Conclamamos a categoria para que, nesse novo tempo, possamos nos tornar uma densa massa, firmemente unida, na defesa dos nossos direitos, inclusive, o direito daqueles que ainda ingressarão no serviço público.

Essa luta vai além dos interesses individuais. Ela abrange o interesse público, pois defender nossos empregos é lutar pela manutenção dos serviços essenciais à população brasileira.