A Fenajufe reuniu no sábado, 7, servidores e servidoras do PJU durante o Encontro Nacional de Carreira da Federação. 

Temas como a melhoria do Adicional de Qualificação, a situação dos Auxiliares, Polícia Judicial e alteração do nível de escolaridade para Técnicos foram tratados durante o Encontro. 

Informes da Fenajufe

O coordenador da Fenajufe Roberto Policarpo falou da discussão em torno da recomposição salarial. Segundo ele essa é uma discussão emergencial para se aproveitar a janela orçamentária do momento, o que permitiria levar ao Congresso Nacional, ainda este ano, uma proposta de reposição para 2022. O dirigente falou ainda que num segundo momento, a discussão do Fórum Permanente de Carreira será em torno da reestruturação da carreira do PJU, onde então aí sim, serão discutidas as especificidades de cargos e salários. Diferentemente de Comissões anteriores, essa do CNJ é um Fórum permanente e a discussão de carreira será um processo contínuo.

Também o coordenador Fabiano dos Santos trouxe para os informes a análise sobre o momento vivido pelos serviços públicos ante a brutal conjuntura de ataques vivida no momento e a importância da construção da Greve Geral do Funcionalismo Público, convocada para 18 de Agosto. Uma luta que não pode estar desvinculada da campanha #ForaBolsonaro, pelo contexto em que se insere.  A luta pela derrubada da reforma administrativa foi incorporada pelo movimento que constrói o 7 de setembro – quando acontece o tradicional Grito dos Excluídos – como um dia nacional de mobilização.

Participação do Sindjuf-PAAP

O Sindjuf-PA/AP participou do Encontro enviando delegados e observadores.

O servidor Marco Antônio Cardoso, um dos delegados enviados pela Entidade, falou sobre a atuação sindical do Sindjuf-PA/AP junto a sua base, salientando as atividades virtuais desenvolvidas, como assembleias, reuniões e fóruns de debates.

O servidor também fez a apresentação e defesa de 5 propostas durante o evento, são elas:

– Defesa do NS com observância da necessidade do nível superior para técnico como forma de negociação salarial comparando com outras tabelas do Executivo Federal, a exemplo da Receita Federal;
– Sobreposição da tabela (mas somente com a aprovação do NS para o técnico);
– AQ permanente de 3%;
– Possibilidade de acumulação de AQ;
– Permanência do adicional de nível superior de 5% para os que já possuem;

Desafios

O evento também apontou desafios a serem superados e segundo os participantes, o divisionismo é um dos grandes desafios a serem vencidos com urgência. Na avaliação dos participantes, prática e discurso divisionistas têm causado danos extremos à carreira ao turvar entendimentos dificultando o estabelecimento de objetivos comuns.

Propostas

Quanto às propostas originadas nos estados e encaminhadas ao Encontro, todas foram remetidas para análise da Direção Executiva.

Próximo encontro nacional que acontece é o de servidoras e servidores da Justiça Eleitoral, em 21 de agosto.

Greve Geral

Ao final dos trabalhos duas certezas permanecem: derrubar a reforma administrativa e o governo Bolsonaro são variáveis da mesma equação e, nesse momento, é preciso garantir a reposição emergencial das perdas salariais. Tudo isso, sem prejuízo daquilo que vem sendo debatido pela carreira desde 1989.

Assim, fortalecer o 18 de Agosto como data unitária da categoria na construção da Greve Geral é prioridade. O calendário está assim definido:

  • 18 de Agosto – Greve Geral dos Serviços Públicos (Saiba mais em contrapec32.com.br) e Mobilização Nacional pelo Fora Bolsonaro (atos, panfletagens e ações no campo e na cidade).
  • 28 de Agosto – Mutirão Nacional Fora Bolsonaro em preparação ao Grito dos Excluídos.
  • 7 de Setembro – Grito dos Excluídos – construção de mais um ato nacional do #ForaBolsonaro. 

VEJA AQUI AS PROPOSTAS DO SINDJUF-PA/AP ENCAMINHADAS AO ENCONTRO

*Com informações da Fenajufe