Hoje, 17 de maio, é celebrado o Dia Internacional de Combate à Homofobia e Transfobia. A data foi escolhida em referência ao dia 17 de maio de 1990, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças. Com esta conquista, o dia 17 de Maio ficou conhecido como “Dia Internacional de Luta Contra a LGBTfobia”. A  data é voltada para a conscientização e à busca de ações que contribuam para o enfrentamento da discriminação contra o grupo.

Um levantamento recente feito pelo Grupo Acontece Arte e Política LGBTI+ e o Grupo Gay da Bahia registra a ocorrência de 237 mortes violentas de LGBTs (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) em 2020 no Brasil. Foram 224 homicídios (94,5%) e 13 suicídios (5,5%).

Os dados do relatório são lamentáveis e nos despertam para a reflexão sobre os diversos tipos de violências que este grupo tem enfrentado ao longo da sua jornada de luta, por isso, hoje além de refletir sobre diversidade, vamos refletir sobre a garantia de direitos para os LGBTIQ+.

Veja a íntegra do OBSERVATÓRIO DE MORTES VIOLENTAS DE LGBTI+NO BRASIL 2020