segunda-feira, 27 junho, 2022
spot_img

Dinheiro esquecido: começa nesta segunda pedido de resgate; veja como fazer

Quem tem algum dinheiro esquecido nos bancos e nasceu antes de 1968 ou criou a empresa antes deste ano vai poder conferir o valor a receber e pedir o resgate dos recursos a partir desta segunda-feira (7).

Para isso é preciso voltar ao site do BC Valores a Receber no dia e horário indicado na primeira consulta até sexta-feira (11). Quem perder o prazo ou o horário poderá fazer repescagem no sábado (12), das 4h às 24h. O usuário que perder a repescagem só poderá retornar a partir de 28 de março.

O BC divulgou um calendário com a data em que pessoas físicas (CPF) e jurídicas (CNPJ) com valores a receber podem consultar o valor e pedir o resgate do dinheiro de acordo com a data de nascimento dos clientes ou da criação das empresas no caso de pessoa jurídica.

► Confira o calendário

ReproduçãoReprodução

O BC esclarece que o cidadão ou empresa que perderem os prazos não precisam se preocupar. O direito a receber os recursos são definitivos e continuarão guardados pelas instituições financeiras até o correntista pedir o saque.

Leia mais: Herdeiros têm direito a dinheiro esquecido nos bancos, diz BC

Após o pedido de saque, a instituição financeira terá até 12 dias úteis para fazer a transferência. A expectativa é a de que pagamentos realizados por meio de Pix ocorram mais rápido.

Para agendar o saque, o usuário deverá ter conta nível prata ou ouro no Portal Gov.br. O login tem três níveis de segurança: bronze, para serviços menos sensíveis; prata, que permite o acesso a muitos serviços digitais; e ouro, que permite o acesso a todos os serviços digitais.

O BC vai liberar R$ 8 bilhões – R$ 3,9 bi nesta  primeira fase, para 28 milhões de clientes – 26 milhões de pessoas físicas e 2 milhões de empresas. E R$ 4,1 bi na segunda fase, que começa em 2 maio, quando o BC liberará novas consultas para 7 situações diferentes. 

Segundo o balanço mais recente do BC, cerca de 114 milhões de pessoas e 2,7 milhões de empresas acessaram o sistema de consultas criado para o resgate do dinheiro. Desse total, 25,9 milhões de pessoas físicas e 253 mil empresas descobriram que têm recursos a receber.

Confira abaixo o passo a passo para a retirada do dinheiro:

Passo 1
Acessar o site valoresareceber.bcb.gov.br na data e no horário de saque informado pelo sistema na primeira consulta. Quem esqueceu a data pode repetir o processo. 

Passo 2
Fazer login com a conta Gov.br (nível prata ou ouro). 

Confira aqui como atualizar ou criar contra no Gov.br

Passo 3
Ler e aceitar o termo de responsabilidade

  • Para ter acesso ao dinheiro, é preciso ler o termo de responsabilidade e aceitá-lo.

Passo 4 – É hora de consulta

O sistema do Banco Central vai mostrar:

  • o valor a receber;
  • a instituição que deve devolver o valor;
  • a origem (tipo) do valor a receber; e
  • informações adicionais, quando for o caso.

Passo 5 – Clique em uma das opções que o sistema indicar:

  • “Solicitar por aqui” – significa que a instituição oferece a devolução do valor via Pix no prazo de até 12 dias úteis
  • Selecione uma das chaves Pix e informe os dados pessoais;
  • Guarde o número de protocolo, se precisar entrar em contato com a instituição
  • “Solicitar via instituição” – significa que a instituição não oferece a devolução por Pix no prazo de até 12 dias úteis
  • Neste caso, entre em contato pelo telefone ou email informado para combinar com a instituição a forma de devolução do valor

Consulte apenas os canais de atendimento do BC que aparecem na tela de informações dos Valores a Receber. Basta clicar no nome do canal.

Como os bancos vão devolver?

Antes de mais nada, é importante os brasileiros saberem que poderão pedir a transferência do valor liberado, sem ter de pagar tarifas.

Segundo o BC, não há valor mínimo ou máximo de resgate. Mesmo aqueles que tiverem centavos a receber poderão fazer a transferência.

Os bancos têm até 12 dias para devolver os valores, a partir da data do pedido do cliente, via PIX. Se a instituição financeira não aderiu ao pagamento por este modelo deve transferir via DOC ou TED, no mesmo prazo.

Alguns bancos oferecem o pagamento diretamente em seus sites e aplicativos, que é dirigido ao site do BC. Outros que não aderiram ao acordo de pagamento com o Banco Central podem oferecer a opção “Solicitar via instituição”, em que o cliente deve solicitar o pagamento diretamente ao banco.

Escrito por: Redação CUT | Editado por: Marize Muniz

Foto/Crédito: Marcos Santos/USP Imagens (FOTOS PÚBLICAS) – imagem licenciável

Fonte: https://www.cut.org.br/noticias/dinheiro-esquecido-comeca-nesta-segunda-pedido-de-resgate-veja-como-faze-28d6

Latest Posts

spot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CADASTRE SEU EMAIL

PARA RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS DIARIAMENTE.