Com relatório podendo ser apresentado dia 26 e votado na Comissão em 1º de setembro, momento requer esforço extra e muita mobilização

O calendário desta semana para a PEC 32/20, a reforma administrativa, parece estar bem definido se depender apenas do relator da proposta na Comissão Especial da Câmara dos Deputados. Segundo Arthur Oliveira Maia (DEM/BA), a intensão é apresentar o relatório na quarta-feira, 25 e iniciar sua discussão, já na quarta-feira seguinte, 1º de setembro.

As informações foram discutidas na reunião desta segunda, 23, das Entidades e Parlamentares que integram a Frente Parlamentar Mista do Serviço Público. Sempre presente à luta e ao debate, a Fenajufe foi representada pelos coordenadores Fabiano dos Santos e Roberto Policarpo. Dos Sindicatos filiados, presença do Sitraemg (MG), Sintrajud (SP) e Sintrajuf (PE).

 Com as datas postas, o momento é de intensificar a pressão e esse tem sido o tom defendido pelo coletivo. Não só defendido, como também implementado e com resultados. É o caso das campanhas corpo-a-corpo em curso nas Minas Gerais onde parlamentares apoiadores da reforma administrativa têm se queixado dos outdoors e campanhas digitais.

Na Região Sul do país não tem sido diferente. Com ações geograficamente definidas nas bases eleitorais dos “pró-reforma”, as reclamações chegam. Com esses resultados, cristaliza-se a tendência já apontada pela Frente e Fonasefe anteriormente, que pressão local é sim um temor real para parlamentares. A orientação é ampliar, avolumar e repercutir essas iniciativas.

Ainda na discussão levantou-se a necessidade de uma grande mobilização quando da entrega ou leitura do relatório da PEC 32. 

Veio do coordenador da Fenajufe, Fabiano dos Santos, o questionamento sobre a necessidade de que os deputados e as deputadas que integram a Frente tragam avaliações sobre as repercussões acerca do #18ª no Parlamento, até como forma de reorientar ações para melhores resultados.

7 de setembro

Com atos programados no 7 de setembro em todo o país pelo #ForaBolsonaro, as entidades apontam a necessidade de intensificar também neste dia, a presença maciça de servidores(as), demarcando a luta contra a PEC 32. Retirar a categoria do imobilismo é fundamental.

Mas esse debate é mais complexo e precisa ser entendido em sua totalidade. Hoje, principalmente servidores(as) do Executivo tem sobre a cabeça a faca da Instrução Normativa 54 que, grosso modo, corta o ponto, imediatamente, do(a) servidor(a) que aderir a movimento paredista. Ou seja, é um debate que vai exigir atenção das entidades nacionais do segmento e de todo o conjunto da categoria.

Ainda sobre o 7 de setembro as entidades informaram que estarão nas ruas, fortalecendo não só o #ForaBolsonaro como o Grito dos Excluídos e defendendo a derrubada da reforma administrativa.

A Frente Parlamentar Mista do Serviço Público realiza reunião ampliada com presença maciça de parlamentares nos próximos dias. Já nesta terça-feira, às 11 horas, as Assessorias de Comunicação das Entidades da Frente também se reúnem para discutir as atividades do período.

*Luciano Beregeno, da Fenajufe

Reprodução: Fenajufe