quarta-feira, 20 outubro, 2021
spot_img

Plano de gestão do TRE Amapá aponta para exercício da cidadania e Sindjuf-PA/AP aposta na experiência de novos gestores

Por considerar o servidor o pilar da gestão pública, o Sindjuf-PA/AP sempre busca estabelecer um bom relacionamento com as administrações do Tribunal, por isso, o Sindicato recebeu com boas expectativas o plano de gestão apresentado pelos novos gestores do TRE do Amapá.

A coordenadora regional do Amapá, Mara Ruth Shariff, servidora do Regional, diz que a expectativa é de uma gestão dinâmica e com uma visão contemporânea, que envolve a proximidade da Justiça Eleitoral com a sociedade.

“Temos convicção de que teremos uma boa gestão, pelo perfil dos gestores: O Presidente do TRE/AP, Desembargador Gilberto Pinheiro e um entusiasta e defensor da Amazônia, com experiência anterior na gestão do Órgão. O Desembargador João Guilherme Lages, Vice-Presidente e Corregedor, por seu turno, tem um histórico de eficiente atuação no TRE-AP, como Juiz Eleitoral e coordenador do Projeto Eleitor do Futuro e, por fim, a escolha  do Diretor-geral recaiu no Dr. Francisco Valentim Maia, um gestor por excelência, servidor aposentado do quadro permanente da Justiça Eleitoral, com vasta experiência em diversos cargos, inclusive no cargo de Diretor Geral do TRE do Pará que o credencia a fazer um excelente trabalho.”, avalia Mara Ruth que diz que o Sindicato está com as melhores expectativas possíveis em relação a valorização dos servidores, objetivando sempre alcançar a missão institucional da Justiça Eleitoral.

Mara destaca aspectos fundamentais do plano gestor: Política de participação feminina, Acessibilidade dos eleitores, ABC da cidadania que contribui para erradicação do analfabetismo na Amazônia, fortalecimento da política ambiental, parceria com a UNICEF, celeridade no julgamento dos feitos, inclusão digital e aprimoramento dos serviços ao eleitor, através da inteligência artificial, dentre outros. Um ponto importante é o combate às Fake News que visam desconstruir a credibilidade da Justiça Eleitoral, através da inclusão digital, deixando a sociedade familiarizada com o funcionamento da urna eletrônica.

Os mesmos aspectos são comentados pelo diretor geral do Tribunal, Francisco Valentim Maia, em entrevista concedida ao Sindjuf-PA/AP. Confira na íntegra:

Sindjuf-PA/AP – Em quais princípios o plano gestor está baseado?

Diretor Valentim Maia – o plano de gestão tem como princípio básico o fortalecimento do exercício da cidadania, oportunizando ao eleitor a concretização consciente na participação política, tendo como suporte a meta específica da justiça eleitoral delineada pelo CNJ para 2021, qual seja, de elaborar ações visando a conscientização do eleitor no processo eleitoral.

Sindjuf-PA/AP – Qual o foco maior do plano?

Diretor Valentim Maia – o foco principal é a responsabilidade social e o combate aos trabalhos de descrédito do voto eletrônico, bem como da maior participação política de jovens entre 16 a 18 anos, mulheres no contexto político e acessibilidade aos eleitores menos favorecidos.

Sindjuf-PA/AP – Quais são os temas prioritários?

Diretor Valentim Maia – temas prioritários: busca de apoio de entes municipais para o processo de alfabetização de eleitores contextualizando o conhecimento de direitos e deveres dentro do processo de alfabetização, inclusão digital que consiste na elaboração de palestras e audiências públicas, sobre o funcionamento da urna eletrônica e sistemas de transmissão, ênfase na participação política da mulher no processo eleitoral, elevação de inscrição eleitoral na parcela de jovens.

Sindjuf-PA/AP – Como o plano foi construído?

Diretor Valentim Maia – o plano de gestão foi elaborado com suporte nas demandas de cartórios eleitorais e submetido ao comitê gestor do TRE AP.

Sindjuf-PA/AP – Qual a expectativa do Tribunal diante desse Plano?

Diretor Valentim Maia –  a perspectiva do Tribunal diante do plano de gestão é elevar a satisfação do público alvo, o eleitor, bem como concretizar ações que tragam como resultado a elevação do voto consciente e maior crédito do processo de votação eletrônica, diante de Fake News, que tentam desvalorizar o eficiente processo de votação eletrônica da Justiça Eleitoral.

Sindjuf-PA/AP – Como o Tribunal busca estabelecer suas parcerias nesta gestão?

Diretor Valentim Maia –  no plano de gestão o TRE AP inclui a busca de parcerias institucionais por entender que as ações de cunho social podem ser integradas por vários órgãos públicos e até instituições privadas. Exemplificando: o UNICEF tem uma política voltada para as crianças e adolescentes. As Prefeituras tem programas de alfabetização que podem ser contextualizados com as ações da Justiça Eleitoral no sentido de afastar a figura do eleitor analfabeto funcional, aquele que sabe ler e escrever, mas não detém o conhecimento dos direitos e deveres e atribuições de governantes, como preceituado nos artigos 14 e seguintes da Constituição Federal e assim por diante.

Latest Posts

spot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CADASTRE SEU EMAIL

PARA RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS DIARIAMENTE.