A carreira dos técnicos judiciários é temática discutida há mais de 5 anos no seio da categoria. Assim como outros ramos do judiciário possuem seus núcleos para discutir questões específicas, os técnicos também conquistaram esse direito na Federação. 

A discussão mais evidente desse ramo é a exigência de nível superior para os novos ingressantes no cargo, pauta aprovada no último Conjuf e discutida no Fórum Permanente de Carreira do CNJ. 

Diante da importância do tema, o Sindicato contou com a presença do Assessor Parlamentar, Alexandre Marques e da Assessora Técnica, especialista em planos de carreira, cargos e salários, Vera Miranda para falar sobre essas alterações na carreira durante reunião virtual do Sindicato.

A reunião pretendeu ainda ativar o núcleo permanente dos técnicos judiciários da Entidade, que passará a ter debates ativos. 

Alexandre resgatou um histórico da luta em torno da carreira dos servidores e explicou que há comissão permanente no STF para debater o assunto. Além de representes dos tribunais, a Comissão conta com 6 representantes indicados pela federação, entre eles, um servidor que representa a região norte. 

Os participantes destacaram a pauta específica dos técnicos que prevê a alteração do nível de escolaridade para os próximos ingressantes no cargo. Para Vera Miranda, está é uma pauta relevante e prioritária da categoria, mas ela lembra que tal mudança deve rediscutir a estrutura da carreira, uma vez que não atingirá apenas o cargo de técnicos judiciários. 

“Para que isso seja frutífero é preciso que desenrole para toda a categoria e seja de interesse vida administração.” 

Vera lembrou que a discussão em torno da alteração da escolaridade surgiu devido à categoria não se diferenciar na questão do fazer central. Nesse caso, técnicos fazem o trabalho de analistas, analistas fazem o trabalho de técnicos e o distanciamento salarial é grande. 

Vera defendeu que a questão vai além da mudança da escolaridade, para ela é preciso criar padrões, para gerar a continuidade do desenvolvimento da carreira que está ameaçada por um conjunto de propostas do governo que reduzem os direitos e a abertura de novas vagas no serviço público. 

Ao final, os participantes convocaram os técnicos para participarem do 5° Encontro do Coletivo Nacional da Fenajufe, espaço onde a temática será melhor debatida. 

Eleição de representantes para o Encontro 

O Sindicato pôde eleger para o Contec, um representante por ramo. Foram eleitos os delegados – Marcos Araújo (TRT), Marco Antônio Cardoso (JMU), José Wilson Fernandes (TrE-PA), e como observador Aluízio Silva (JMU) e Ribamar França (TRE-PA). Os representantes da Justiça Federal e do Amapá serão inseridos posteriormente.