A Associação dos Oficiais de Justiça do Pará e Amapá (Assojaf Pará e Amapá) já se prepara para a eleição da sua nova diretoria, biênio 2020 / 2022, prevista para ocorrer no dia 20 de julho.

A chapa única, denominada “Juntos Vamos Crescer” tem como candidato à presidência o oficial de justiça Malone Cunha, lotado na subseção de Marabá da Justiça Federal e como vice-presidente, o oficial de justiça Norberto Santos, lotado no TRT8ª em Belém.  

Os demais cargos da Diretoria – secretaria, tesouraria, vice-tesouraria, conselho diretor e conselho fiscal, estão distribuídos entre outros colegas da categoria.

O voto é presencial e os associados deverão comparecer à assembleia para votação que deverá ser convocada em futuro edital.

De acordo com Malone Cunha o principal desafio da gestão é manter acesa a chama da postura associativa e sindicalista e mostrar para os colegas que apesar dos tempos serem difíceis é importante fazer um esforço para continuar na luta, para que se consiga manter o que já há de conquistas e novos direitos.

“O mais desafiador é que nós vivemos uma época em que querendo ou não, a pandemia vai refletir financeiramente na vida dos oficiais, eles já estão tendo um decréscimo na sua renda e isso vai refletindo no enfraquecimento das entidades, porque o oficial de justiça que passa a ganhar menos por conta da perda da indenização de transporte temporária, vai pensar, lá na frente, de onde tirar mais dinheiro e uma das coisas que ele pode pensar em cortar é a contribuição que ele dá ao sindicato ou a associação, ou seja, querendo ou não as nossas entidades representativas de categoria tende a enfraquecer.”, explica ele.

Apesar dos desafios, a chapa planeja modernizar a associação, com mudanças necessárias no estatuto e na comunicação com seus associados.

“Outros planos que nós temos é de expansão. Deixando a associação Pará e Amapá com representação em cada subseção, por isso um dos nossos compromissos é fazer, pelo ou menos, uma vez durante a gestão uma visita em cada subseção da justiça federal e da justiça do trabalho no estado do Pará e Amapá. É a forma que a associação tem de mostrar a sua cara para o associado ou para aquele que ainda não é. Além das visitas institucionais. ”, explica.  

Malone também explica que existem demandas urgentes como os mandados acumulados por conta da pandemia. Ele esclarece que a atual gestão já está trabalhando para dar condições ao retorno do trabalho dos oficiais.

“Existem demandas pontuais que já vão surgir de início das atividades, como por exemplo, o represamento de mandados que nós temos durante a pandemia que está aguardando a redistribuição, o momento da abertura das atividades da justiça para entupir os oficiais de justiça de mandados. Nós já temos uma ideia a ser discutida com a direção da seção e com as direções das subseções que seria tentar fazer com que a quantidade de mandados represados seja distribuída por período semelhante aquele que ficou suspenso de forma proporcional e paulatina, de forma que os oficiais não cheguem para trabalhar no seu primeiro dia após o retorno das atividade com 300 ou 400 mandados para serem feitos.”

Malone também lembrou que a saúde dos profissionais é uma preocupação e que eles só podem retornar as suas atividades se tiverem assistidos por cuidados de saúde.

Conheça a chapa completa.

Presidência: Malone Cunha

Vice-Presidência: Norberto Santos

Secretaria: Renato Xerfan

Tesouraria: Denise Costa

Vice-Tesouraria: Vanessa Lynch

Conselho Diretor:

Alicia Hosana

]Bruno Dantas

Manoel Mendes

Mario Albuquerque

Paulo Galende

Conselho Fiscal:

Joel Seibert

Juliana Souza

Ketiane da Silva