O Sindjuf-PA/AP vem promovendo diversas frentes de prevenção contra o Coronavírus. Depois da distribuição de máscaras caseiras a servidores e comunidades carentes, o Sindicato acaba de assinar uma carta em conjunto com outras entidades representativas dos trabalhadores, por conscientização e medidas de prevenção ao povo amapaense.

A carta dirigida ao povo amapaense aborda a importância da quarentena como uma das formas de prevenir o contágio pelo vírus, traz informações alarmantes sobre o sistema de saúde do estado e defende a manutenção de direitos nesse momento de crise.

O documento tem assinatura do Sindjuf-PA/AP, CSP-Conlutas, SINSGAAP (Sindicato dos Servidores do Grupo Administrativo do Estado do Amapá), Sindsaúde Amapá, SAMU Amapá, SINDSEMP (Sindicato dos servidores do Ministério Público do Estado do Amapá), SINJAP (Sindicato dos Serventuários da Justiça do Estado do Amapá), SINDUFAP (Sindicato dos Docentes da Universidade do Amapá), SINCOTTRAP (Sindicato dos Condutores de Veículos e Trabalhadores das Empresas de Transportes Rodoviários de Passageiros do Estado do Amapá), ASMEAP (Associação dos Servidores Militares do Estado do Amapá)

Leia a carta na íntegra

CARTA DOS SINDICATOS AO POVO AMAPAENSE

Todos que puderem devem ficar em casa de quarentena preservando sua vida e a dos outros!

Àquele que por obrigação tiver de sair de casa. Use máscara.

O Amapá entra numa fase de aceleração descontrolada de contágio pelo coronavírus. São mais de 240 casos confirmados e 6 mortes, ocupando os primeiros lugares no país por contaminação de covid-19.

Para piorar não existem leitos, respiradores e UTI’s suficientes na rede pública de saúde.

Diante dessas informações alarmantes exigimos a construção imediata dos hospitais de campanha e a aplicação de testes rápidos para o Covid-19.

O governador Waldez Góes e os prefeitos de Macapá e Santana, Clécio Luís e Ofirney Sadala, precisam providenciar urgentemente aos profissionais da saúde os equipamentos básicos de proteção, como: máscaras, luvas, álcool-gel e capotes para atender com dignidade a população.

O governo e as prefeituras devem manter o comércio fechado, deixando funcionar somente o essencial.

Somos contra a redução de salários e direitos dos trabalhadores.

Sindicatos lutando ao lado da população!