terça-feira, 28 junho, 2022
spot_img

AUMENTO DOS SERVIDORES: Ricardo Barros confirma reajuste de policiais e pede compreensão aos sindicatos

Líder do governo na Câmara reafirmou que segurança pública será beneficiada pelo Orçamento 2022, mas sindicatos das demais categorias ‘precisam se entender’

Em mais um revés para os servidores públicos federais que pressionam com paralisações e ameaças de greves pelo reajuste salarial linear, o líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), confirmou, nesta quarta-feira (2), que somente os policiais serão contemplados com a reserva de R$ 1,7 bilhão para aumento de salários no Orçamento de 2022.

“As categorias a serem beneficiadas são da área de segurança pública. Os sindicatos dos servidores públicos precisam se entender. Aumento linear para todos não haverá, são R$ 3 bilhões para cada 1% de aumento para o servidor público”, disse o parlamentar na abertura do ano legislativo, na Câmara.

“Não temos esse recurso no Orçamento. Ou eles se entendem e quando uma categoria consegue avançar, as outras apoiam, porque um dia vai chegar sua vez, ou fica como está. Alguns podem receber e outros não. Todos são contra e ninguém recebe nada, é simples assim”, acrescentou.

O impasse com os servidores públicos começou antes mesmo do início da discussão da lei orçamentária no Congresso Nacional. Em dezembro do ano passado, o presidente Jair Bolsonaro (PL) prometeu aumento para todo o funcionalismo.

Ao ser repreendido pelo ministro Paulo Guedes (Economia), o presidente recuou, mas manteve a promessa para as categorias policiais, que oferecem mais apoio ao governo.

No início do mês passado, quando Bolsonaro sancionou a lei orçamentária com o valor suficiente apenas para o reajuste da segurança pública, as demais categorias demonstraram descontentamento e cruzaram os braços em paralisações nacionais.

Na segunda-feira (31), Bolsonaro voltou a tocar no assunto durante agenda no Rio de Janeiro. Com o mesmo tom de Barros, o presidente afirmou que será possível reajustar os salários somente em 2023.

PEC dos Combustíveis será iniciativa parlamentar

O líder do governo na Câmara também adiantou que uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para diminuir os preços dos combustíveis será iniciativa parlamentar e não do governo federal, embora atenda à demanda do Planalto.

“Não temos esse texto ainda, mas o comando do presidente Bolsonaro é: zerar os impostos federais sobre óleo diesel, que custam R$ 50 bilhões por ano de renúncia fiscal, ou óleo diesel, energia e gás, que são R$ 75 bilhões de renúncia fiscal por ano, totalmente suportáveis pelo excesso de arrecadação que temos tido sucessivamente no Ministério da Economia”, declarou Ricardo Barros.

Por Luana Melody Brasil | O TEMPO BRASÍLIA

Foto/Crédito: Geraldo Magela/Agência Senado / Senado Federal, CC BY 2.0 <https://creativecommons.org/licenses/by/2.0>, via Wikimedia Commons

Fonte: https://www.otempo.com.br/politica/congresso/ricardo-barros-confirma-reajuste-de-policiais-e-pede-compreensao-aos-sindicatos-1.2606096

Latest Posts

spot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CADASTRE SEU EMAIL

PARA RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS DIARIAMENTE.