sábado, 24 setembro, 2022
spot_img

Legado de Temer e Bolsonaro: Estoque da Conab quase zerado aumenta fome no país

Depois do golpe de 2016, além da política de estoques reguladores do governo, que foi praticamente abandonada, os recursos para agricultura familiar despencaram, o que contribui para aumentar a fome no Brasil

Desde o golpe de 2016, que destituiu a presidenta Dilma Rousseff, os estoques de alimentos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), ligada ao Ministério da Agricultura, vêm caindo, até chegar a um nível próximo de zero. Embora difícil de mensurar, isso causa impacto nos preços, por reduzir a oferta. Em momento de alta da inflação e nos preços dos alimentos, o país abriu mão de um instrumento que poderia ajudar a reduzir essa pressão, revela matéria da RBA.

“Foi o que aconteceu no ano passado, por volta de setembro, quando houve aumento de preços de alguns de produtos, como arroz, soja (derivados) e outros, provocado pelo câmbio, de um lado, e de outro, pelos baixos estoques reguladores”, lembra o diretor técnico adjunto do Dieese, José Silvestre. Esse processo de desmonte, acrescenta, que começou no governo Michel Temer, foi aprofundado no atual.

Estoques reguladores

O Boletim Especial de 1º de Maio do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) já alertava para este problema. De acordo com o boletim, foram fechados 27 armazéns da Conab), que além de responsável pelos estoques é a principal compradora de produtos da agricultura familiar.

“A Conab existia para um momento de crise, para ajudar a evitar a carestia dos alimentos, mas os estoques reguladores foram diminuindo tanto que agora não conseguem ajudar a população a pagar mais barato pela alimentação”, disse ao Portal CUT, Gustavo Monteiro, economista e um dos técnicos do Dieese que elaborou o boletim especial de 1º de Maio.

Sinal para o mercado

À RBA, o ex-diretor da Conab, o pesquisador Silvio Porto observa que a capacidade de baixar preços por intervenção do governo está relacionada justamente ao volume de estoque público. “Às vezes, só o fato de ter o volume estocado representa um sinal de atenção por parte do mercado, (no sentido de) que esse governo não vai titubear caso seja necessário em disponibilizar esse produto para o mercado”, diz Porto, atualmente professor na Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB).

Outro fator que ajuda a aumentar o drama da fome é a redução de recursos destinados à compra de produtos, no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que beneficia a agricultura familiar, que caiu de quase R$ 587 milhões, em 2012, para R$ 41,4 milhões, em 2019, primeiro ano do governo de Jair Bolsonaro.

Confira aqui a íntegtra da matéria do jornalista Vitor Nuzzi, da RBA.

Foto/Crédito: Andre Kasczeszen / APPA (FOTOS PÚBLICAS)

Fonte: https://www.cut.org.br/noticias/legado-de-temer-e-bolsonaro-estoque-da-conab-quase-zerado-aumenta-fome-no-pais-d88d

Latest Posts

spot_imgspot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

CADASTRE SEU EMAIL

PARA RECEBER NOSSAS NOTÍCIAS DIARIAMENTE.